Pais e Mães e Filhos

Que tipo de mãe se quer ser?

12/01/2016 • 1 Comentário

Eu falo e repito. Filho é incrível mas não é fácil. E com ele vem, de brinde, o cardápio de culpas.

Se aperta muito, dá culpa porque está oprimindo. Se solta muito, dá culpa porque não está limitando. Se bate, dá culpa porque bater está fora de moda. Se não bate, dá culpa porque antigamente batia e funcionava. E a avó ali do lado vai lhe condenar. É por isso que essas crianças estão assim! Falta de palmada!

Se é legal, dá culpa porque está legal demais. Mãe não é amiga. Se é chata, dá culpa porque assim não vai construir nenhuma relação. O filho vai lhe virar as costas assim que o primeiro salário lhe der a abolição.

Se fica pouco, dá culpa porque não é presente. Se fica muito, dá culpa porque sufoca.

É. Não é fácil escolher ali no menu o sabor de mãe que se quer ser.

Dá para fazer um virado misturado e ser um pouco de tudo? Talvez aí esteja o segredo. Balancear o tempero. Mas é difícil. Tem dia que o prato sai salgado demais. Tem dia que é muito doce. Tem dia que é amargo e dia que é um azedume só.

E por cima de tudo, a cobertura de culpa por não se saber definir a mãe que se deve ou quer ser.

Difícil esse MasterChef. E os jurados ali a postos, de plantão.

E então, antes de ter os filhos, ninguém te conta, de verdade, como é difícil. Principalmente nos dias de TPM.

E quando alguém te fala como é incrível, você, que ainda não tem o paladar, não sabe exatamente como é esse sabor.

E quando parece que o bolo vai desandar, o filho surpreende. Incrivelmente. Às vezes é só uma carinha assim, fofa. Ou um chamego fora de contexto. Ou uma conversa sobre o DNA das bactérias nos microscópios eletrônicos. E quando ele só tem 5 anos e fala sobre isso, você infla de amor, orgulho e aquelas outras coisas viscerais que essas loucas chamadas mães sentem.

E no final do dia você, assim, exausta de tê-lo passado testando os sabores que queria ser, olha o filho ali dormindo, seguro, saudável.

Você sabe que ele não é, exatamente, um anjinho, mas parece que é, e isso lhe basta.

Você agradece e dorme profundo, e feliz. Até que ele lhe venha acordar antes do suficiente. Afinal, já disse e não é demais repetir, filho é incrível, mas não é fácil.

Que_tipo_de_mae_se_quer_ser

(imagem: wordbrasil.wordpress.com)

Patrícia
< Anterior
Próximo >
Comente pelo Facebook
Escreva seu comentário
Comentários
  1. Geralyn - 20/07/16 - 19h48

    Just do me a favor and keep writing such trhennact analyses, OK?

<Voltar para a home>